Make your own free website on Tripod.com

moonlightbeasts3.jpg

O mito da transição

Home
O que é a Licantropia
Hipertricose
A marca da Besta
Lua e suas influências
O mito da transição
O Ritual
Gravuras
Relatos
Sugestões

A crença persistiu até aos nossos dias, Homem assume uma (metamorfose) para Lobo adquirindo comportamentos grotescos, o que anatómicamente está comprovado como impossível, mas que por outro lado, do foro Psicológico já foram diagnosticados vários casos, que deixa a questão: Será que existiram mesmo?

werewol_animgif.gif

werewolf3.jpg
Esta gravura mostra-nos uma presumível transição de Humano para Lobo

werewolf_transformation_.jpg
A gravura mostra-nos um esboço de uma transição para Lobisomem

likeliness.jpg
Gravura de um esboço do Século XVI

esboo1.jpg
Esboço I

esboo11.jpg
Esboço II

esboo12.jpg
Esboço III

esboo13.jpg
Esboço IV

esboo14.jpg
Esboço V

esboo15.jpg
Esboço VI

esboo16.jpg
Esboço VII

O lobisomem é um mito universal. A imaginação do povo retrata o lobisomem assim: é um homem pálido, magro, de orelhas compridas e nariz levantado. Como é que surge o lobisomem? Nasce o lobisomem quando o filho é resultado de um incesto. É o filho que nasceu de um casal que teve sete filhas. Quando chega aos treze anos, numa terça ou quinta-feira, sai à noite e, quando encontra um lugar onde um jumento se espojou, começa o fado. Daí por diante, todas as terças e sextas-feiras, de meia-noite às duas horas, o lobisomem tem que fazer sua corrida, visitando sete cemitérios, sete partidas do mundo, sete oiteiros, sete encruzilhadas e, ao regressar ao lugar onde o jumento se esponjou, readquire a forma humana. Quem ferir o lobisomem, quebra-lhe o fado; mas a pessoa não deve se sujar com seu sangue porque, se assim acontecer, também se tornará lobisomem. Para desencantar um lobisomem basta feri-lo ou usar uma bala untada com cera de vela acesa durante três missas de domingo ou na Missa do Galo, rezada na meia-noite de Natal.